top of page

Cyberdependência: Uma questão de saúde mental


A cybersegurança, é um assunto que tem vindo a ganhar o seu destaque no dia a dia da sociedade, com predominância nas crianças e jovens. Estudos realizados pela Universidade Nova de Lisboa no ano de 2019, revelam que 78% das crianças e jovens entre os 9 e os 13 anos de idade, usam a internet todos os dias, a sua maioria através do telemóvel.


Devido à situação pandémica e a todas as alterações que as crianças e jovens foram alvo no sistema de ensino, surge a necessidade de alertar os pais e encarregados de educação para o facto de que, apesar das inúmeras vantagens que trouxe, o acesso à internet deve ser monitorizado e levado com responsabilidade.


A cyberdependência é um comportamento de risco que está associado à cybersegurança e uma de entre as várias problemáticas que tem vindo a surgir nas preocupações dos pais e encarregados de educação. Por vezes, torna-se difícil para estes pais, perceber os sinais de alerta e as consequências que estes comportamentos podem ter na vida das crianças/jovens.


 

''A cyberdependência envolve, de forma genérica, a realização de

atividades online, de forma intensa e persistente, resultando no aumento progressivo da permanência no espaço virtual. Traduz-se na ausência de controlo e dificuldade em sair do contexto online. Pode incluir, entre outros, comportamentos de dependência do jogo online, das

apostas online, das redes sociais, da pesquisa ou das compras online. Conduzem a uma redução do interesse em situações do quotidiano, o que pode trazer consequências emocionais, familiares, sociais e profissionais/académicas.‘’

 

Alguns dos sinais de alerta:


  • Necessidades básicas: a criança/jovem começa a colocar em causa necessidades como o sono, a alimentação e/ou a higiene;

  • Rotinas/Lazer: Alterações na rotina, como por exemplo hábitos de estudo, atividades fora do contexto digital ou outras atividades que façam parte do seu dia a dia, por exemplo a prática desportiva;

  • Grau de satisfação online: A criança/jovem sente cada vez mais necessidade de aumentar o número de horas passadas online, parecendo que essas horas se tornam cada vez mais insuficientes para o seu grau de satisfação;

  • Sintomas de privação ou abstinência: A criança/jovem apresenta sintomas de privação ou abstinência quando não está online ou é privada desse mesmo acesso, podendo apresentar-se irrequieta ou irritada;

  • Perda do rendimento escolar (sem outro motivo aparente).

Apesar de nem todos os casos se identificarem como cyberdependência, é importante incentivar as nossas crianças e jovens a passar menos tempo online e a fazer mais atividades ao ar livre, fomentando o contacto com outros jovens: muitas vezes, os pais/encarregados de educação revelam que os seus filhos 'já não sabem falar com as pessoas', sendo esta uma das preocupações mais expressas.

As dificuldades de socialização, são dos fatores mais apontados pelos pais quando se está na presença de uma criança/jovem que passa demasiadas horas online. Podem surgir de várias formas, desde a dificuldade em relacionar-se com o outro, isolamento, dificuldade em entender as brincadeiras ou a linguagem corporal do seu grupo de pares, assim como a perda ou desinteresse em partilhar sentimentos ou emoções.


No próximo dia 26 de julho pelas 18:00h, estas e outras questões serão debatidas através de um Webinar, realizado pela nossa equipa de psicólogas. É destinado a pais/encarregados de educação de crianças e jovens do 2º e 3º ciclo de escolaridade, no âmbito do projeto #fazesparte - PIEAS - Um projeto financiado por POR Lisboa 2020.

Destinam-se ao aumento da literacia em saúde mental, numa perspetiva de suporte/apoio, e respetivas estratégias, para que cada cuidador/a possa estar atento/a aos sinais de alerta e riscos, trazidos pela fase da adolescência.



O Webinar 'Cybersegurança: Riscos e desafios da adolescência', terá a duração de 1h:30m, e será totalmente gratuito. Será um espaço de partilha de experiências onde os pais/encarregados de educação terão oportunidade de conhecer as problemáticas associadas à cybersegurança, assim como as estratégias a adotar.

Até breve!


Susana Santos

Psicóloga Clínica

Membro Efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses nº 24251










101 visualizações3 comentários

3 commenti


Membro sconosciuto
19 lug 2021

Thank you for sharing this enormous information. I do agree that nowadays we are completely dependent on the cyber world which leads to mental health issues, especially in kids. It's our responsibility to make our kids social and play comparatively more ground games instead of being an online zombies.

Mi piace
Membro sconosciuto
20 lug 2021
Risposta a

Hi Ann! We will continue to alert children and young people to realize the risks of online life! it is everyone's duty! thanks for your contribution!

Mi piace

Membro sconosciuto
19 lug 2021

Hi

Mi piace
bottom of page