8 Dicas para uma campanha de crowdfunding

Pensar numa campanha de crowdfunding deve ser muito mais do que ir à procura de apoiantes. Deve conhecer bem com quem irá trabalhar, o seu público alvo e muito importante! experimentar o conceito. Dentro das possibilidades o pré-projeto deve permitir perceber os erros que iria cometer se avançasse. Prove o seu conceito.


Independentemente: da plataforma, da ideia ser excelente e dos milhares de simpatizantes. Conquistar apoiantes é uma verdadeira luta, não é fácil passar o dinheiro para o nosso lado. Só no final da campanha irá perceber se foi demasiado passivo ou por outro lado saberá o quanto é difícil vender uma ideia — como diria Miguel Gonçalves “temos de bater punho todos os dias!”.



Antes de investir nas plataformas de crowdfunding, fique com estas dicas:


#1 Fundações fortes

O campo dos sonhos não vingam no crowdfunfing, é impossível lançar uma campanha e esperar que o dinheiro comece a entrar.


As pessoas que tiveram sucesso com o crowdfunding investem mais de 100 horas só na estratégia e nos contactos que irão fazer. Após peneirar e limpar a base de dados investiram mais 30h até conseguirem o dinheiro para depositar no banco.


Antes de lançar a campanha contacte as pessoas que tenham tido sucesso com as campanhas, pergunte qual foi a estratégia. Crie um calendário com acções diárias, o que fará em redes sociais, como fará as actualizações, contacte os meios locais e se possível nacionais e guias de eventos da cidade, fale com bloggers influentes e peça a sua colaboração. Depois de encetar estes contactos inicie a lista de a fazeres durante o período de 6 semanas de crowdfunding.

“As pessoas financiam pessoas, não apenas as ideias” –Danae Ringelmann, Indiegogo

#2 Peçam ajuda no pré lançamento

Um dos maiores erros dos novatos é só avançarem com a recolha de fundos no dia em que arranca o crowdfunding. Antes do lançamento da campanha já deverão ter contactado todos os potências apoiantes. Idealmente a angariação prévia ao arranque da campanha rondará os 30% do investimento necessário. exemplo: Academia de Voleibol de Praia de Setúbal (PPL).


Atenção não basta contactar toda a base de dados a pedir apoio. Segundo Richard Swart (reconhecido como o percursor do crowdfunding) “é necessário desenvolver relações com todo o tipo de pessoas influentes, lideres, celebridades e outras pessoas que estejam dispostas a divulgar a mensagem antes da campanha ser lançada on-line” e acrescenta “Para ter sucesso em crowdfundig, primeiro deve criar uma comunidade envolvendo as pessoas no processo de criação.”


 #3 Torne tudo pessoal

“As pessoas financiam pessoas, não apenas as ideias”. As campanhas de sucesso incluem vídeos que apresentam os empreendedores, captando a sua paixão e onde também apresentam as ofertas ‘porreiras’ que vão envolver os "fans" com o produto/projecto.


Está a perceber? veja o exemplo de Natália Rodriguez da Jiva Cubes:

A Natalia gravou um video de 3 minutos onde deu ênfase aos produtos orgânicos com origem num mercado justo e onde oferecia caixas do produto como incentivo. Ela esperava que os amantes de café a ajudassem a recolher os 12.000€ para o seu inicio de actividade em 2012. A campanha recolheu um pouco mais de 3.000€. Ela atribui este fiasco à falta de envolvimento da campanha “Eu não pensei naquilo que as pessoas queriam” explicou.


Em menos de um mês ela voltou a preparar uma nova campanha. No novo video enalteceu o seu espírito empreendedor e demonstrou de modo mais aprofundado o processo de produção dos JIVA CUBES; ofereceu novos incentivos e deu mais possibilidades aos investidores para degustar o produto e partilharem a sua experiência. Os apoiantes responderam às alterações feitas, contribuindo com 19.800€.”


#4 Responda ao feedback

Envolver os apoiantes é mais do que receber dinheiro. Segundo Dan Marom, co-autor do livro The crowdfunding Revolution: “Os apoiantes são a fonte crítica do empreendedor/fundador, o contributo não deve ser apenas em dinheiro mas também em ideias que estão dispostos a partilhar” a estas ideias deve-se responder com ajustes à estratégia de marketing, alterações ao desenho/filosofia do produto e/ou preço – este é um processo importante e integrante na angariação de fundos em crowdfunding.


Mesmo após o lançamento da campanha deve-se alterar o vídeo se necessário.Temos o exemplo da marca Knix Wear que realizou uma campanha de marketing orientada para incontinência feminina, mas com base nas perguntas das potenciais clientes, que incluíram dúvidas como a redução de odores com a prática desportiva ou mesmo no dia-a-dia, levaram a que a mensagem da campanha fosse reorientada passando a enfatizar o produto como adequado para todas as mulheres, não apenas as que tinham algum problema de saúde.


crowdfunding permite o envolvimento com os clientes/doadores e evita cometer erros que podem ser muito dispendiosos (como a produção exagerada de produto).





#5 Considere um financiamento mais baixo

A campanha inaugural da Knix Wear excedeu o objectivo, mas a meta seguinte (2014) baixou porque a fundadora gerou um valor agregado ao produto. Segundo Griffiths (fundadora Knix Wear) “é muito mais fácil considerar um apoio racional se uma campanha já está 100% conseguida”.


A estratégia funcionou, a segunda campanha teve um objectivo de 10.000€ e em duas semanas recolheu mais de 35.000€.


Deve considerar um objectivo mais baixo para iniciar a actividade, apenas 44% das campanhas excedem o objectivo, e esta pode ser a diferença entre receber um cheque ou falhar. A fundadora da Indiegogo Danae Ringelmann diz que “Atingir a meta de financiamento é como uma validação, faz com que os apoiantes queiram fazer parte do projecto.”.


#6 Vá para a rua

As plataformas de crowdfunding estão on-line, mas as ajudas mais significativas chegam do mundo real. Para chegar aos apoiantes é recomendado a organização de vários eventos: festas de lançamento, organização de mesas redondas. Por exemplo, alguém que esteja a fundar um clube pode fazer parcerias com outros clubes na organização de torneios, criando ligações com atletas da modalidade e amantes da modalidade ganhando assim mais apoio para a divulgação da campanha.


As pessoas gostam de apoiar projectos com os quais se identificam e participarem em actividades que as excitem, não se deve ignorar as oportunidades de criar envolvimento fora da Internet.


Para gerar algum buzz o primeiro esforço poderá passar por enviar um video às pessoas que querem fazer parte do projecto a pedir para que se inscrevam no clube ou comprem o produto (colocação de uma encomenda) através da plataforma decrowdfunding.


Para ter sucesso é necessário muito trabalho de bastidores que não se vê na Internet porque inclui telefonemas, cartas e e-mails, as redes sociais são a ponta do icebergue.




#7 um acompanhamento de excelência

A maioria dos apoiantes estão interessados em saber todos os passos que dá nos bastidores, todo o processo criativo. Isto significa que deve partilhar actualizações e partilhar alguns tipo de recompensas.


O envolvimento com os apoiantes é mais do que um “serviço pós-venda”: as plataformas de crowdfunding chegaram à conclusão que as campanhas que enviam pelo menos três atualizações conseguem 239% mais apoios do que aquelas que dão menos informação.


Numa terceira campanha feita pela Jiva Cubes a fundadora acredita que os 2700 apoiantes que conseguiu foi devido às criticas positivas deixadas nas campanhas anteriores. Segundo Rodriguez: “Um projeto na sua fundação não tem qualquer sucesso” e explica ” só tem sucesso depois de entregar o produto e este corresponder ou superar as expectativas.”.


#8 Considere campanhas e não a campanha

Quem fez um projetos com sucesso sabe que a atitude “um e está feito” não é a melhor abordagem ao crowdfunding, esta é a opinião de Swart “é necessário ser engenhoso para fazer campanhas sucessivas, é uma atitude inteligente.”.


Lançar várias campanhas de baixo valor faz mais sentido do que criar uma de valor alto, isto porque ajuda a criar uma aura de lealdade para com a marca ao longo do tempo e dá oportunidade aos fãs que não participaram numa de entrarem abordo noutra e outros que poderão apoiar o projeto em todas as suas fases.


Começar com a campanha de angariação e depois seguir com outras campanhas que introduzirão novos produtos/projetos. Volto ao exemplo de Rodriguez que cada vez que lança uma nova variedade de café apela aos seus fãs e apoiantes para que a auxiliem com feedback. “Valorize as opiniões.” e lembre-se que “Sem apoiantes, não será bem sucedida.”


Clientes (apoiantes) = validação, receita, dinheiro, avaliação, fundamentação.

E que Investidores = distracção na perseguição de clientes.

Info @ Jod Helmer

80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Siga-nos
  • Facebook YMCA Setúbal
  • Twitter YMCA Setúbal
  • YouTube YMCA Setúbal
  • Instagram YMCA Setúbal
  • LinkedIn YMCA Setúbal

Programas YMCA Setúbal

Creche

Jardim de infância

C.a.t.ls.

Centro de explicações

Formação profissional

Estilo de vida saudável

Alojamento

Eventos

Outros Programas YMCA Setúbal

Programas de férias

Campo de férias

Space camp NASA

Mentoria

Empowering
young people.

Avenida da Bela Vista 38

2910-421 Setúbal

Portugal

+351 265 739 540