top of page

Ansiedade e regresso às aulas

O momento do regresso às aulas é um momento de muito entusiasmo entre crianças, mas também pode trazer algumas incertezas e inseguranças, traduzindo-se por vezes em sintomas de ansiedade. Naturalmente, todas as mudanças geram ansiedade, e os receios das crianças no início do ano letivo estão muitas vezes relacionados com a mudança para uma nova escola, o medo de reprovar/não manter as boas notas e ainda o medo de não ter amigos.

Particularmente este ano, em que as incertezas em relação às normas e regras impostas pela Covid-19 ainda se mantém, os níveis de ansiedade nas crianças têm vindo a aumentar, o que, consequentemente se traduz em pais preocupados, sem saber que estratégias adotar.

No fundo, todos nós procuramos o mesmo: voltar à normalidade.

As crianças querem voltar à escola, brincar com os seus amigos e ter intervalos onde possam fazê-lo sem restrições, e isso também lhes provoca ansiedade.


Imagem: Monstera | At: Pexels

O que podem os pais/cuidadores fazer para preparar o regresso às aulas da melhor forma?

  • Converse com a criança. Ouça aquilo que ela tem para lhe dizer, com calma e atenção. Faça perguntas sobre como correu o dia. Mostre que está curioso/a sobre o seu dia a dia. ''O que mais gostaste hoje na escola'?', ''O que menos gostaste?'' - Evite perguntas fechadas, de resposta sim/não e fomente o diálogo diariamente;

  • Ouça atentamente as suas preocupações e procure resolver os problemas em conjunto com a criança. Desta forma, a criança sente-se valorizada e participa ativamente na resolução de problemas - ''Vamos pensar em formas de resolver essa situação'';

  • Evite frases que possam desvalorizar a criança ou aquilo que ela está a sentir. ''Isso amanhã passa'' ou ''Não te preocupes com isso'' são frases a ser evitadas. Em vez disso opte por ''O que é que isso te fez sentir?'' ou ''Hoje não me pareces muito bem, queres falar sobre isso?;

  • Incentive a criança a procurar contactos com outras crianças e fazer novos amigos;

  • Procure manter a rotina da criança: as horas para brincar devem ser respeitadas como as horas para estudar. Ambas são importantes e fazem parte da sua vida;

  • Aposte no elogio: elogie a criança sempre que observar o comportamento que quer ver, e não apenas quando ela faz algo de extraordinário. Dessa forma, está a promover a adoção de comportamentos adequados e a estimular a sua auto imagem de uma forma positiva;

  • Encoraje o empenho e a persistência da criança, não só em contexto escolar, mas em todas as atividades do seu dia a dia.


Por outro lado, é importante que as crianças tenham em mente que, apesar da situação pandémica se encontrar mais estável em relação ao ano passado, as regras devem ser cumpridas com o mesmo rigor. É importante que as crianças estejam informadas sobre aquilo que se passa na sua vida, e as mudanças a que podem estar sujeitas.


O que podem os pais fazer caso a criança se encontre em isolamento/aulas online?

  • Manter as rotinas de estudo. Apesar da criança estar em casa, isso não significa que esteja de férias. É importante que a criança mantenha as suas rotinas e leve o seu dia a dia como se estivesse na escola. É igualmente importante respeitar os horários para brincar, fazer refeições e estudar os conteúdos aprendidos nas aulas;

  • Converse com a criança e explique-lhe que a situação é temporária e que devem tirar o melhor proveito da situação;

  • Separe as zonas de estudo e as zonas de lazer: Uma vez que a criança acaba por passar muito tempo em casa, é importante ter locais inteiramente dedicados ao estudo e ao lazer. Os sofás e as camas servem para descansar, assim como a secretária/mesa e a cadeira servem para estar concentrados nas tarefas escolares;

  • Opte por um local bem iluminado, de preferência com luz natural, com uma temperatura adequada e bom acesso à internet;

  • Minimize o isolamento da criança: Fomente o contacto com outros amigos ou colegas de escola, mesmo que à distância;

  • Acompanhe o estudo da criança, fomentando o seu estudo autónomo: Por vezes torna-se difícil as crianças acompanharem as exigências dos professores nas aulas online. Procure apoiar a criança e ajudá-la nas dificuldades e simultaneamente mostre-lhe que consegue encontrar soluções sozinho. Promova o estudo, mas não estude com a criança;

  • Respeite o ritmo da criança: Por vezes sentimos que estamos mais produtivos nuns dias e mais cansados noutros. Com as crianças é semelhante.

Deixo ainda uma sugestão de uma técnica de relaxamento para crianças, uma sugestão fácil e rápida, que pode ser introduzida na rotina da criança:

  • https://www.youtube.com/watch?v=ieht9IooHA4

O relaxamento tem inúmeros benefícios, ajudando a criança não só a reduzir sintomas ansiosos, mas também a melhorar o seu sono e a sua concentração.

É igualmente importante ter em conta quando os sintomas de ansiedade da criança se podem traduzir num mal estar clinicamente significativo.

Nesse caso, aconselhe-se com um profissional de saúde mental.

Bom regresso às aulas!


Até breve!

Susana Santos

Psicóloga Clínica

Membro Efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses nº24251



110 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page